segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

Pax marxista



Minsk 2 tem que prevalecer para o bem da Europa (e da humanidade). 

Evitando o belicismo em seu coração, a UE agora terá como desafio a ajuda à Grécia, há anos em bancarrota. 

Não é mais possível impor o monetarismo aniquilador e egocêntrico à custa da miséria do país. 

O Parlamento Europeu deverá estender a mão, assimilar um pouco o choque traumático que a exploração e a pobreza traz ao povo.

Em suma, suavizar o pacote malévolo de austeridades financeiras e torniquetes fiscais, renegociando a dívida grega de 240 bilhões de euros.

A nova política de Atenas mostra boa vontade em dialogar e resolver o χάος. 

Espera-se reciprocidade das contrapartes.